Pesquisa finalizada no dia 15/06 e agora estamos sistematizando os dados para divulgar.

Acompanha nas nossas redes sociais!

Dentro do contexto da ameaça do Coronavírus, as cidades do mundo inteiro foram diretamente afetadas por conta das suas características de concentração de pessoas vivendo, circulando e desenvolvendo as mais diversas atividades, favorecendo a contaminação e o rápido crescimento do número de casos.

 

Com o objetivo de frear o alastramento deste vírus as principais entidades e organizações internacionais de saúde fizeram recomendações focadas na higiene, no isolamento físico (social) e na prática de quarentena (em casos de suspeita ou confirmação de contaminação assintomática), alterando profundamente a relação da humanidade com as cidades e as pessoas.

 

Abraçando a complexidade das diferentes dimensões do impacto desta pandemia, a Rede Brasileira de Urbanismo Colaborativo compreende que o momento pós-crise sanitária global exigirá transformações comportamentais e de infraestruturas urbanas, de modo que as sociedades possam encontrar modelos de regeneração ecologicamente viáveis e socialmente justos. É neste sentido que estamos realizando uma pesquisa para entender as novas relações com os espaços públicos e os padrões de deslocamentos das pessoas em diferentes cidades do país.

 

Todos os dados coletados nesta primeira etapa do diagnóstico servirão para entender algumas dessas mudanças e também serão base para novas etapas desta e de outras pesquisas que envolvam o futuro das cidades.